O Instituto Avalon é uma organização com mais de duas décadas de atuação voltada para a divulgação, educação, aplicação e pesquisas de conceitos e técnicas promotoras da qualidade de vida, priorizando as técnicas naturais e suas premissas. Considerando a integração harmoniosa entre as diversas entidades (mente, emoção, energia vital e físico) que compõem o ser humano e o meio ambiente. Os profissionais que formam a equipe de terapeutas do Instituto são experientes, com reconhecida competência em suas especialidades.

ESTAMOS HONRADOS E FELIZES E QUEREMOS COMPARTILHAR COM NOSSOS AMIGOS ESTA CONQUISTA:

Em 2015, foi conferido ao Instituto Avalon, o PRÊMIO QUALITY EDUCAÇÃO, pela International Quality Company, com a chancela da Sociedade Brasileira de Educação e Integração.

INSTITUTO AVALON - há 25 anos formando os melhores profissionais!

Ansiedade (2/3)



Compreendendo a Ansiedade (texto 2/3)






Este artigo é o segundo de três artigos onde pretendo compartilhar algumas ideias básicas sobre ansiedade. No artigo passado eu fiz uma introdução ao tema e a minha opinião sobre o assunto e neste segundo artigo eu vou entrar um pouco mais a fundo na raiz da ansiedade. Ao final deste artigo você se sentirá mais capaz de sair da ansiedade pois compreenderá melhor como ela funciona e o que a gera.


Antes de começarmos devemos compreender que não é possível aprofundar-nos realmente em um texto. Pois ele não pode ser direcionado à alguém como uma resposta eficiente a cada caso, um texto é apenas um monólogo que considera uma ideia. É por isto que eu não escrevo livros e porque eu prefiro dar uma consulta do que uma palestra para um grupo. Porém aqui vão umas considerações resumidas sobre os mecanismos da ansiedade baseada no geral que observo no dia-a-dia das pessoas de nossa sociedade.


Desde tenra idade nós constatamos uma busca dentro de nós. É uma sensação de vazio que queremos preencher e que nos inquieta e nos move pela vida inteira. Esta sensação, que eu chamo de Angústia Raiz, ou Angústia Essencial está presente em cada ser humano que ainda não descobriu quem é e, justamente por isto está atrás de algo que não sabe bem o que é. Este algo é o seu próprio eu mais profundo que só pode ser encontrado dentro em forma de Silêncio. Porém como a maioria não está ciente disto então esta busca assume diversas formas projetadas fora, como objetos materiais e relacionamentos.


Quão mais alheios à si mesmo mais distantes do silêncio interno. E quão mais distantes do silêncio interno mais forte projetam suas expectativas fora esperando uma paz que só poderão encontrar dentro. E dá-lhe comprar o carro deste ano, a melhor roupa para mostrar para os outros, comemorar a "vitória" no futebol e relacionamentos para exigir que o outro te dê a felicidade mesmo que o seu cônjuge não tenha e esteja com você unicamente por esperar que seja você a dar essa felicidade pra ele. Um buscando aquilo que não tem dentro do outro que está apenas fazendo exatamente a mesma coisa...


Não se enganem, eu não sou contra o conforto material e o luxo, se dependesse de mim todas as pessoas do mundo viveriam no maior luxo possível. Também não sou contra os relacionamentos, pois quem poderia ser contra o amor? Eu não sou contra nada, porém eu vejo a realidade e buscar a felicidade fora de si mesmo consegue trazer apenas frustração. Até quando você vai conseguir se enganar?


A busca essencial é do observador se buscando no observado, a consciência buscando voltar à Fonte porém procurando na matéria. Não importa onde você busque, se for fora de si você não encontrará. Ter muito dinheiro é bom, pois você pode continuar se distraindo da verdade e buscando fora pois sempre haverá um objeto que você ainda não tem e do qual dependerá sua felicidade. Não ter dinheiro não é tão bom mas pelo menos serve para continuar se iludindo que você só não é mais feliz porque não tem mais dinheiro. Depois que tem então poderá comprar coisas e até pessoas. E quando todo este velho mecanismo não lhe trouxer a satisfação que você esperava? O que você vai fazer? E quando seus planos forem realizados mas não deram aquilo que você queria? E aí? Vai cometer suicídio? Então porque não aproveita e encurte caminho, suicidando-se agora?


Para aqueles que são inteligentes e conseguem ver além, quando todas as portas de fora se fecham uma nova porta abre dentro. A porta do silêncio, da paz, da meditação. Quando o "cheio" não foi capaz de preencher o seu vazio, quem sabe o próprio Vazio consiga terminar a sua busca? O sábio Krishnamurti tem uma frase famosa: "Não é sinal de saúde ser ajustado à uma sociedade profundamente doente." À que tipo de doença ele está se referindo?


A má notícia é que se você discordou provavelmente você é um doente também.


Esta busca essencial não está sendo resolvida com as soluções encontradas pela nossa sociedade pois é sempre algo fora. E enquanto gastamos todas as energias de nossa vida para estas falsas soluções, vamos nos esgotando e nos tornando amargos, pois vemos claramente que toda nossa vida está sendo apenas um desperdício. Então sentimos que precisamos de ajuda mas não vemos onde a encontrar. No estado sugador dos seus lucros em nome de impostos? Na religião controladora através da culpa com boa parte dos sacerdotes não melhores ou até mais perdidos do que você?


A falta de orientação cria angústia e a ansiedade surge do desejo intenso de encontrar uma solução. Quando a solução para o Angústia Raiz não é encontrada ficamos com ansiedade e aos poucos essa ansiedade esgota nossas forças surge a depressão, que é a desmotivação parcial ou até mesmo total em alguns casos. Essa Angústia Raiz existe no presente, um sentimento de vazio dentro de nós. A ansiedade existe no futuro através da imaginação e a depressão no passado através de remoermos memórias e repetirmos incessantemente uma história mental para nós mesmos. Essa constante verbalização que chamamos de "mente" a grande maioria acha que é o próprio "EU", apenas porque nunca foram ensinados a auto-observação meditativa.


Muitas vezes a Ansiedade vem da dificuldade de escolha, e quase sempre ela está relacionada

com a dúvida. Pois o medo do futuro gera ansiedade que pode ser física ou emocional. E eu costumo dividir este sofrimento em 2, real e irreal. O Real é uma necessidade do presente: dor, fome, sede, sensação térmica extrema (frio ou calor) e cansaço extremo. Isto é real, está aqui e agora e é solucionado pelo dinheiro. O irreal é um sofrimento emocional que chamo de irreal por não ser objetivo e só existir porque o próprio sofredor fica remoendo o passado ou ansiando o futuro e neste tipo de sofrimento a quantidade de dinheiro que você tem é completamente inútil.


Existem muitos mecanismos geradores desta doença mental, como por exemplo a vitimização (a vontade de ser um coitado), a ilusão de que a mente (suas verbalizações mentais) é você, etc. Estes são os mecanismos básicos geradores da ansiedade, que não é uma doença em si e sim uma consequência da falta de autoconhecimento. Portanto como sairmos da ansiedade? É muito simples, basta revertermos o raciocínio e aumentar nossa quantidade de autoconhecimento. Você precisa fazer uma investigação das suas autossabotagens e aprender a silenciar a mente para que consiga parar de ferir a si próprio e possa experimentar na sua vida os valores de tranquilidade, amor, paz, felicidade e saúde mental.



Então eu gostaria de me despedir e convidar você a ficar atento ao próximo artigo, pois ele vai mostrar como podemos sair da ansiedade. Quem não quer não é mesmo?












 Um forte abraço de Rajnath
 e até o próximo texto. 
Paz.

Gostou? 
Convidamos você à participar da primeira palestra da Série de Palestras do Baba Rajnath, 
no Instituto Avalon.
Local: Av. Liberdade, 702 - entre as estações de Metrô São Joaquim e Liberdade
A palestra acontecerá  nas próximas terças-feira dias 23 e 30 de agosto de 2016 das 19:00 às 20:30h.

Investimento: Gratuita

Vagas Limitadas
 confirme já sua presença.

Ligue agora para 11 3341-6010 ou click no link abaixo:

http://info.institutoavalon.com.br/inscricao-palestra-rajnath
 

Ansiedade 1/3

Você é uma Pessoa Ansiosa? 



Olá, antes de mais nada eu vou desejar que você tenha uma ótima semana repleta de notícias positivas em sua vida, meu nome é Baba Rajnath e eu sou um Guru. O que é um Guru?
Uma antiga escritura da Índia, onde passei anos como um sadhu (monge renunciante), chamada Advayataraka Upanishad cita que a palavra Guru é composta de "gu" e "ru" que significam "trevas" e "dissipar" respectivamente, portanto um Guru é alguém reconhecido pelo próprio Guru como alguém capaz de "remover as trevas da mente" de outras pessoas. Meu guru é o líder de uma antiga tradição na Índia chamada Siddha Sampradaya e me orienta desde 2008, ele me ensinou muitas coisas que serão úteis a muitas pessoas, religiosas ou não, em suas vidas quotidianas e incessantemente atarefadas com trabalho, estudo, família e lazer.
Este artigo é o primeiro de três artigos onde pretendo compartilhar algumas ideias básicas sobre ansiedade e outras emoções que são a raiz dos sofrimentos humanos. Você é uma pessoa bem vinda para me acompanhar nestas investigações. O presente artigo é uma introdução, o segundo falará sobre os mecanismos geradores da ansiedade e o terceiro visará dar uma luz de como iniciamos o caminho de ver-nos livre do mal da ansiedade, considerado o "Mal do Século".
Antes de continuar a leitura eu peço que pare, respire profundamente, desarme sua mente e tente entrar em um espaço de silêncio e relaxamento dentro de si mesmo para uma melhor compreensão. Imagine que agora a sua vida fosse exatamente como você quer... O que impede você de alcançar isto? Vamos descobrir juntos?


O título, embora alguns podem pensar ser um teste, é uma constatação de um fato que será melhor explicado no segundo texto na exposição destas ideias, acompanhe-nos e invista algum tempo em si mesmo e perceba que conforme você for lendo este texto a sua compreensão sobre o assunto se torna mais clara e a solução para seu problema se torna mais fácil.
A primeira destas informações é que é possível eliminarmos não apenas a ansiedade porém qualquer emoção negativa de forma definitiva e radical através do autoconhecimento. Este termo significa um conhecimento sobre nós mesmos, uma investigação sobre quem somos nós e sobre o funcionamento de nossa mente para que possamos em primeiro lugar parar de repetir os padrões negativos de comportamento que só nos trazem sofrimento em todas as áreas de nossas vidas e em segundo lugar (uma vez identificadas e vencidas nossas auto sabotagens) despertar nosso potencial interno para que possamos sair daquilo que é chamado de Roda do Sofrimento, elevando-nos a um ponto de harmonia, paz e felicidade possível a qualquer ser humano nesta mesma vida. Isto é o direito de nossa essência como natureza do Ser.
Portanto, aumentando o seu nível de conhecimento sobre o funcionamento de sua própria mente, você não apenas tem como libertar-se da ansiedade mas também de todas as emoções que criam sofrimento. E também ter mais sabedoria para as escolhas diárias que todos nós precisamos fazer, pois o resultado de seus planos dependem muito mais das escolhas certas do que da quantidade de trabalho e energia empregados (muitas vezes desperdiçados). Porém as escolhas certas só vêm com sabedoria e aprender com nossas experiências negativas ou investir-nos em nós mesmos através da aquisição de autoconhecimento são as únicas duas formas de aquisição de sabedoria. Cabe a nós a escolha entre o caminho da dor ou o caminho do amor. O que você prefere?
É de senso comum que o sofrimento faz parte da vida e é a única forma de aprendermos. Nisto todos os sábios do oriente discordam profundamente. Todos eles são unânimes em dizer que o sofrimento nasce apenas da ignorância e que o aprendizado só pode vir através da sabedoria. Portanto o sofrimento, a ansiedade e a depressão são coisas não apenas diferentes mas também opostas à sabedoria. Tais coisas deveriam ser ensinadas nas escolas e faculdade para as crianças, pois nós é ensinado de tudo menos gerenciarmos nossas emoções, criando adultos desequilibrados e com um permanente senso de dúvida e insatisfação. Por isto a sociedade está no atual estado de confusão e angústia generalizada, pois quando não temos autoconhecimento não conseguimos enxergar as falhas dentro de nós e começamos a projetar fora pondo a responsabilidade no governo, na esposa, no emprego e nas outras pessoas e coisas.
Agora que você consegue enxergar que precisa aumentar o seu autoconhecimento beneficiando-se de uma orientação para que consiga atingir seus objetivos com o menor índice possível de erros tendo uma vida como você quer. Você já parou para imaginar como isto é possível?
Olhe a sua volta agora e perceba um pouco as pessoas desta sociedade que nos rodeia. Tire suas conclusões e veja por si mesmo. Por que será que existem tantas pessoas compromissadas com o atrito, com o ódio, co vinganças, com alimentar continuamente o ego inclusive irritando ou humilhando os outros? Por que tais padrões continuam se eles não trazem felicidade à estas pessoas? Por que tanta gente egoísta ao ponto de magoar alguém apenas para conseguir uma vantagem que sequer a fará feliz? Por que tanta burrice e estupidez sem ao menos enxergarem que mais do que mal aos outros estão fazendo mal a si mesmos, incessantemente repetindo os mesmos padrões negativos de auto sabotagem quase como se fossem espiritualmente cegas? Será que muitas destas coisas não tem dentro de você?
Esse tipo de aprendizado não vai vir sozinho flutuando pelo ar até você. Precisamos de iniciativa e ação, que todos arregacemos as mangas não apenas para nos tornarmos melhores mas também ajudarmos a melhorar esta sociedade. E os sábios ensinam pelo exemplo, através de investir seu tempo na investigação de si mesmo e de esforçar-se sinceramente para por em prática no dia a dia o caminho da sabedoria, silenciando a mente e aprendendo pelo amor, o amor ao conhecimento. Ou você prefere pela dor?

Se você chegou até aqui neste texto isto é um bom sinal, significa que você é uma pessoa comprometida em se tornar uma pessoa mais evoluída, mais feliz, mais harmoniosa. Isto é muito importante porque o futuro da sociedade e do planeta dependem de pessoas assim como você. Significa que você é uma pessoa muito mais importante do que imagina. Significa que nós já estamos em sintonia e mesmo que nunca nos encontremos já existem uma linha tênue que nos une. E eu convido você a reforçamos esta linha através do próximo texto, onde buscarei compartilhar as idéias básicas sobre os mecanismos que geram a ansiedade. Você será uma pessoa muito bem vinda, como sempre. Gostaria de me despedir e desejar que nesta semana você receba inspiração amor e sabedoria para lidar com os desafios desta escola da vida no qual todos estamos aprendendo. 
Um forte abraço do Baba Rajnath 
e até o próximo texto. Paz.

Gostou? 
Convidamos você à participar da primeira palestra da Série de Palestras do Baba Rajnath, no Instituto Avalon.

A palestra acontecerá  na próxima terça-feira dia 16 de agosto de 2016 das 20:30 às 22:00h.
Investimento: Gratuita
Vagas Limitadas
 confirme já sua presença.





CURSO DE PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA

PRACTITIONER

AULA ABERTA DIA 17/07 - DOMINGO

ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO E CONHEÇA MELHOR O CURSO E A 

TRAINER E MASTER PRACTITIONER DHELBA ALLIEGRO, 

COORDENADORA DO CURSO






ARTIGO: PREOCUPAÇÃO É PRÉ-OCUPAÇÃO

PREOCUPAÇÃO É PRÉ-OCUPAÇÃO

A preocupação tem sido uma postura cada vez mais presente em nossa sociedade.
Com as inúmeras dificuldades da vida moderna cada vez nos sentimos menos capazes de atender a todas as solicitações do dia a dia e, principalmente, não sobra tempo para sermos felizes. Alguns reagem a esta situação mergulhando em preocupações.
Na verdade, ficar preocupado atrai para nossa realidade o que seria apenas uma possibilidade, é fixar a mente em uma só direção, é se retirar da realidade atual e abandoná-la ao léu, para focar nossas energias em um futuro nem sempre provável, mas quase sempre negativo. Se preocupar é ficar cego para o momento.
A preocupação nos deixa à mercê da ansiedade que, por sua vez, neste contexto, é motivada pelo medo, o que nos coloca no pior cenário para uma vida tranquila e feliz.


A ansiedade é um transtorno que compromete significativamente nossa qualidade de vida. Quando a preocupação se configura de forma exagerada pode nos levar a uma condição de ansiedade generalizada de difícil controle e promover sintomas como fadiga, irritabilidade, dispersão, tensão muscular, alterações no apetite, distúrbios do sono, sintomas gástricos, hipertensão, dores de cabeça, diarreias, sudorese e outros sintomas. Devemos, portanto, evitar a ansiedade e agirmos o mais brevemente possível, buscando técnicas de relaxamento, yoga, atividades físicas, artes, massagem, alterar a rotina, conviver mais com amigos, estimular o lazer. Outra ajuda eficaz é o uso dos Florais de Bach.
Muitos confundem preocupação com responsabilidade, com planejamento, mas planejar não implica em sofrimento, este sim, companheiro da preocupação, e responsabilidade é o oposto de preocupação, uma vez que ser responsável é ser capaz de responder prontamente, enquanto ser preocupado é estar sempre em um estágio anterior ao estágio da ocupação, ou seja, da resposta.
Planejar evita a preocupação, sua intenção é preparar, organizar e estruturar os meios para alcançar um determinado objetivo. Assim tomamos decisões que nos levam a cumprir nossas metas com rapidez e menos esforço, com racionalidade e eficácia. É ser responsável.
Em outras palavras, planejar é uma forma de transformarmos pensamentos em ações.
A preocupação é uma forma de mergulharmos em um sem fim de pensamentos, impossibilitando qualquer tipo de ação.
Se preocupar é gastar energia sem produzir nada, a não ser ansiedade, medo, baixa autoestima, sentimento de incapacidade e estabelecer um caminho para a somatização das mais variadas doenças. Vale considerar o pensamento do grande poeta americano Robert Frost (1874-1963): "A razão pela qual a preocupação mata mais pessoas do que o trabalho é que as pessoas se preocupam mais do que trabalham".
Quando você se sentir tentado à preocupação, avalie se sabe como resolver o problema, se souber comece a resolvê-lo, se não souber procure aprender ou encontre alguém que saiba fazê-lo e inicie uma ação determinante para eliminá-lo. Se não souber como resolver, se não encontrar onde aprender uma solução e se não encontrar alguém capaz de solucioná-lo, então é provável que não seja um problema real, mas apenas uma alucinação.
Se preocupar é perder o presente, se preocupar é dificultar a convivência com a felicidade e, principalmente, se preocupar é não ter fé.
A maior força de realização que Deus nos ensinou é a Fé. Se preocupar é acreditar que tudo pode dar errado, ter Fé é saber que tudo acontece de acordo com o bem maior.

Faça a sua parte e o Universo agirá ao seu favor.

Sábias palavras de Abraham Lincoln (16º presidente dos E.U.A): Senhor, minha preocupação não é se Deus está ao nosso lado; minha maior preocupação é estar ao lado de Deus, porque Deus é sempre certo.
A Bíblia nos ensina:
Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Visto que vocês não podem sequer fazer uma coisa tão pequena, por que se preocupar com o restante?
Lucas 12:25-26

Não se preocupe, se ocupe!
Serg Rios Alves
Terapeuta e Diretor do Instituto Avalon

Qualidade de Vida com as Terapias Naturais



QUALIDADE DE VIDA COM AS TERAPIAS NATURAIS





            A humanidade, há muito tempo, tem sofrido com a manifestação das doenças e no afã de minimizar suas dores tem, ao longo das eras, experimentado as mais variadas técnicas para alcançar este objetivo.

            Nos primórdios de nossa história usávamos rituais xamânicos, práticas religiosas, espirituais e aos poucos as técnicas com maior ou menor grau de sofisticação foram se incorporando ao arsenal das ferramentas de cura, tais como a eleição de determinados alimentos, os banhos, o uso de águas minerais, a fitoterapia, as massagens, a acupuntura, entre outras, que foram evoluindo e compondo as  “escolas médicas”, de determinados povos como a Medicina Egípcia, a Grega, a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a Ayurveda, da Índia e muitas outras praticadas por diversos povos.

            Além destes “sistemas” estabelecidos, outras práticas sempre surgem se agregando ao conhecimento já em uso ou até novas concepções, por vezes radicais e revolucionárias, como a Homeopatia e a Terapia Floral.

            O importante é que todas elas cumprem seu papel de reequilibradores do homem doente, ajudando no retorno à condição saudável.

            Os países ocidentais têm seu código médico chamado de alopatia e sua prática muito tem ajudado a todos os que buscam nela a ajuda desejada. Mas de maneira nenhuma seu conjunto de práticas se constitui no único método capaz de restabelecer a saúde do ser humano.

            Vivemos um momento muito especial da história humana, tempos de integração e democratização do conhecimento, de forma que o conhecimento das práticas de cura de povos diferentes podem ser acessados mais facilmente por todos que por elas se interessam e sua eficiência testada em diferentes cenários.

            Claro que cada povo valoriza as práticas que lhes são conhecidas, mas hoje temos a possibilidade de conhecer outras que podem ser integradas aumentando o arsenal de ajuda de uma determinada escola já estabelecida como vemos, por exemplo, a acupuntura e a homeopatia que fazem parte das terapias naturais sendo assumidas pela alopatia.

            A Organização Mundial de Saúde (O. M. S.), reconhece e recomenda cerca de 100 técnicas naturais originadas e praticadas em todo planeta, são chamadas de tradicionais e  muitos países estão incluindo em sua matriz de saúde pública algumas destas técnicas, inclusive o Brasil, que o fez recentemente através da portaria 971 do Ministério da Saúde de 03 de maio de 2006 que estimula e cria meios para que os Municípios, Estados e a União possam levar as técnicas naturais para toda a população através do Sistema Único de Saúde (S. U. S.)

            Por falta de conhecimento da população e por não fazerem parte das matérias ensinadas nas faculdades de Medicina sempre houve, por parte daqueles que se utilizam exclusivamente da alopatia, muita desconfiança quanto a eficácia destas técnicas que pouco a pouco foram ganhando interesse e respeito da população que se beneficia com sua ação  e finalmente sendo reconhecidas em seu valor pelo governo federal.

            Este conjunto de técnicas que são conhecidas por vários nomes tais como: alternativas, holísticas, complementares, integrativas, entre outros, são, antes de mais nada, técnicas, nada tendo haver em seus procedimentos com nenhum tipo de  conotação religiosa, não importando a religião de quem as pratica ou de quem a elas se submete, infelizmente este tipo de confusão já fez parte do conjunto de desconfianças atribuídas as  terapias naturais por pura falta de informação.

            As terapias naturais têm vantagens evidentes para quem se utiliza delas, como o baixo custo, não serem invasivas, terem pouco ou na maioria dos casos nenhum efeito colateral, de não exigirem grandes suportes tecnológicos para serem praticadas, de principalmente desenvolverem uma relação mais humana entre o doente e o terapeuta.

            Acreditamos que quando focamos o interesse no bem-estar dos que sofrem, todas as formas de ajuda são bem vindas, sem a preocupação discriminatória de quem quer que seja, ou na defesa insensível, irascível e irracional  de seus pontos de vista que nada mais são do que pontos, quando na verdade a saúde exige soluções com uma visão ampla.

            A dimensão do conhecimento humano sobre as doenças e suas causas, os procedimentos de ajuda e de cura têm crescido espantosamente nos nossos dias, mas ainda é infinitamente menor do que a  ignorância que a humanidade ainda tem a vencer. Portanto toda ajuda é bem vinda, todo conhecimento tem valor.

            Todos temos o direito de ter acesso a toda ajuda possível, devemos exercer a nossa liberdade de sermos saudáveis.




Serg Rios Alves              

Terapeuta e Diretor do Instituto Avalon

QUER SABER MAIS SOBRE NOSSA PROGRAMAÇÃO?

www.institutoavalon.com.br

Ayurveda, a Ciência da Vida



Ayurveda, a Ciência da Vida

Dr. Marco Fabio Coghi




Como viver em harmonia conosco mesmo e com a natureza?
Essa é uma das perguntas que todos nós nos fazemos desde tempos mais remotos até os dias atuais. A resposta a essa pergunta, segundo os sábios antigos da Índia, conhecidos como Rishis, encontra-se no Ayurveda. Ayus (ou Ayur), do sânscrito, significa Vida, e Veda é Ciência ou ainda, Conhecimento. Portanto, o Ayurveda é entendido a como sendo a Ciência da Vida, o conhecimento de como viver de forma correta em harmonia consigo mesmo e com todo Cosmo.
Embora o Ayurveda seja por vezes confundido como sendo um tipo de medicina complementar/alternativa, ele é muito mais abrangente do que podemos imaginar. Leva em consideração os diferentes aspectos da vida e sua relação com as leis universais que regem o macro e o microcosmo. O Ayurveda foi concebido pelos antigos sábios hindus através de séculos de observação da natureza interna e externa do homem, e pela descoberta das leis naturais que subjuga a tudo e a todos.
Conta a lenda que o homem, há milhares de anos, era feliz, forte e saudável.
Porém, com o passar das eras e ao afastar-se dos princípios éticos que os norteavam, veio a sofrer as conseqüências dessa ação: tornou-se fraco e doente. Os sábios de então se reuniram em uma grande assembléia, aos pés dos Himalaias, para debater e encontrar uma solução para a decrepitude humana: como eliminar as doenças e o sofrimento e resgatar sua integridade. Foi quando o deus Indra passou o conhecimento do Ayurveda para o sábio Bharadwaja que disseminou aos demais sábios.
Os conceitos do Ayurveda formam reunidos inicialmente em um compêndio, conhecido com Charaka Sumhita, os Ensinamentos de Charaka. Charaka foi um grande médico que viveu em época ainda não determinada com precisão: muitos autores defendem a data de 1.000 a.C, e que reuniu todo conhecimento da medicina existente na época. Outros livros-textos importantes do Ayurveda vieram a seguir, como o Sushruta Samhita, escrito pelo cirurgião Sushruta em 800 a.C. e Asthanga Hridaya, escrito por Vagbhata em 600 a.C.
Mas o que é então o Ayurveda?
O Ayurveda parte do princípio de que o homem é composto simultaneamente por quatro veículos, de diferentes “densidades”. A vida só é possível quando os quatro veículos coexistirem simultaneamente. O ser humano é constituído por espírito, mente, emoções e corpo físico, o último sendo mais denso dos quatro. Os três corpos “inferiores” sofrem mudanças com o tempo, portanto, são qualificados como corpos materiais. O espírito (atmã) é inalterado e é considerado como sendo energia. A saúde é encontrada quando existe um perfeito alinhamento dos quatro corpos. Quando há dissociação do equilíbrio entre um ou mais corpos, surge a doença. A doença pode, por exemplo, iniciarse por uma desconexão entre o espírito e a mente e afetar toda cadeia.
Então, para combater a decrepitude humana, o Ayurveda se preocupa com a busca do equilíbrio espírito-mente-emoção-corpo físico. E tem um tipo de tratamento para cada um deles. Busca restabelecer a harmonização destes veículos.
O Ayurveda é, portanto, mais que um sistema médico como conhecemos no Ocidente: é um estilo integral e equilibrado de vida. Nesse estilo de vida, a alimentação é balanceada de acordo com a constituição pessoal. Os exercícios físicos leves, como o yoga, são praticados de forma regular. A meditação é usada para elevar a mente a estados mais próximos do espírito, buscando assim a consciência plena.
Ervas, música, astrologia védica, gemologia, massagem corporal (massoterapia Ayurvédica) entre outras tantas atividades também fazem parte desse sistema holístico milenar.
O Ayurveda por ser tão abrangente, é conhecido como a Ciência da Vida, a arte de viver em plena harmonia.

 Participe do Curso
 Introdução Ayurveda e Massagem Ayurvédica

de 21 à 23 de Abril de 2016
 

http://info.institutoavalon.com.br/curso-massagem-ayurveda-2016


http://info.institutoavalon.com.br/inscricao-massagem-ayurveda